Preencha os campos abaixo e nossos corretores entrarão em contato com você!

Enviado com sucesso!

Verifique os campos marcados e tente novamente.

Ocorreu um erro!

Fale com nossa equipe de vendas!

Verifique os campos marcados e tente novamente.

Ocorreu um erro!

Menu
30/10/2013

Mão de obra formal na construção civil dobrou em 6 anos

A mão de obra formal na construção civil teve um aumento de 109,6% entre 2006 e o ano passado, passando de 1,4 milhão para 3 milhões de trabalhadores com carteira assinada no Brasil.

Os dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) apontam ainda que, entre 2007 e 2012, o aumento salarial destes profissionais, em todos os Estados, foi em média de 66%. Segundo a entidade, o mestre de obras viu no período, um aumento na renda de 81%, e o armador, de 71%. Pedreiros e serventes viram o salário crescer 66% e 63%, respectivamente.

Para a assessora técnica da CBIC, Geórgia Grace, a expansão da produção no setor resultou no aumento de renda, “que aumentou a atratividade do profissional”.

Mais qualificação

De acordo com a assessora, contribuiu para esse aumento não apenas o “boom” vivido pela construção civil na década passada, mas também a necessidade de encontrar um profissional melhor qualificado.
“Isso é importante, pois a força do mercado está começando a quebrar o estigma do profissional na construção civil, de que, se alguém é pedreiro, é porque não estudou”, afirma.

Segundo Grace, a busca por qualificação afeta também a implantação de novas tecnologias nos canteiros de obras do país. “Hoje, não adianta as indústrias lançarem seus produtos no mercado se não fazem um convênio com institutos profissionalizantes para qualificar os trabalhadores”, observa.

Fonte: Folha Imóveis